Home Edições RCL 32 _ Ficções Ensaios Na modernidade, às arrecuas: O fim da representação nas obras recentes de Emmanuel Hocquard

RCL 32 _ Ficções

Na modernidade, às arrecuas: O fim da representação nas obras recentes de Emmanuel Hocquard

O sentimento da ficção nos Modernos, e a sua extensão, constitui o tema desta contribuição. «Moderno», em literatura, é um livro que interroga a sua natureza de livro, bem como as razões que poderão ter levado aquele que o assina a escrevê-lo. Verifico este postulado em duas obras recentes de Emmanuel Hocquard (Le commanditaire, de 1993 e Le voyage à Reykjavik, de 1997), que têm como particularidade o facto de aliar fotografia e texto na busca do objecto da observação. Longe de confortar o desejo de representação que anima o narrador, as imagens depositadas no dossier do livro conduzem esse desejo ao vazio. «Na modernidade, às arrecuas», como o Anjo de Benjamin, assim procedem estas obras, mas sem conduzir à melancolia, porque tornam o seu objecto insignificante doravante reconhecido por inteiro na sua forma.

Navegação

Contacte-nos

icon-addressRevista de Comunicação e Linguagens
Centro de Estudos de Comunicação e Linguagens
Av. de Berna, 26-C, 5.º andar, sala 506
1069-061 Lisboa PORTUGAL

icon-phone(+351) 21 795 08 91

icon-fax(+351) 21 795 08 91

icon-emailEste endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.